Os sonhos dos poetas despertam-me / Também a multidão que ainda dorme profundamente.
Os sonhos dos poetas, Abé Barreto

Inauguração do Memorial de Dare: Café e Museu

18/03/2010 > Nacional

A inauguração do Memorial de Dare: Café e Museu, no âmbito do lançamento da Comissão Nacional da UNESCO em Timor-Leste, contou com a presença do Presidente da República, Dr. José Ramos Horta, do Primeiro-Ministro, Kay Rala Xanana Gusmão, e da principal dinamizadora do projecto, a Presidente da Comissão Nacional da UNESCO e Embaixadora da Educação de Timor-Leste, Kirsty Sword Gusmão.

Estiveram ainda presentes diversos membros do corpo diplomático e antigos combatentes timorenses e australianos que participaram na Segunda Guerra Mundial.

O Memorial de Dare: Museu e Café, em Fatunaba/Dare, celebra a memória do esforço conjunto entre timorenses e australianos contra a ocupação japonesa de Timor-Leste, durante a Segunda Guerra Mundial. Em Fevereiro de 1942, respondendo ao desembarque dos Aliados em Timor, tropas japonesas desembarcam em Dili e em Kupang. Durante cerca de um ano, duas companhias australianas desenvolvem uma guerra de guerrilha contra os ocupantes japoneses, com o apoio da população timorense e de alguma da administração colonial portuguesa. Até ao final da Segunda Guerra Mundial, em Agosto de 1945, os japoneses controlaram a ilha de Timor, tendo os timorenses sofrido terríveis represálias por ajudar o inimigo. Estima-se que um total de cerca de 40 a 50.000 timorenses tenha morrido durante este período.

O Memorial de Dare foi inicialmente inaugurado em 1969 por veteranos australianos da Segunda Guerra Mundial. Nele se podia ler: “Ao povo portugês do Minho a Timor. Oferta do povo australiano como prova de gratidão pela ajuda prestada aos seus soldados durante os anos de 1939-1945 e muito particularmente ao povo de Timor pelos homens do comando 2/2 (Companhia Independente) que aqui combateram em 1942”.

O novo Memorial de Dare: Café e Museu nasceu do esforço e persistência de Kirsty Sword Gusmão, respondendo a um pedido da comunidade de Fatunaba para revitalizar o espaço, com a construção de uma nova escola primária. Após 7 anos, e com o apoio de várias pessoas e entidades públicas e privadas, este espaço tornou-se finalmente uma realidade.

O Café e Museu estão abertos ao público todos os dias.

Para mais informações sobre o trabalho desenvolvido, visite a página do Arquivo e Museu da Resistência Timorense

Governo de Timor-Leste

Design e implementação boq | Copyright © 2009 Secretaria de Estado da Arte e Cultura